PROGRAMA DE REFORÇO DE COMPETÊNCIAS - E@D (25 DE ABRIL)



Sugestões para ler e reler, conhecer um pouco mais da história do 25 de Abril, ouvir as músicas que acompanharam a revolução.

LER

José Jorge Letria - Um menino chamdo Zeca (exite versão e-book)

"Um Menino Chamado Zeca" é uma história poética sobre um grande músico-poeta, que pode ser lida por crianças e adultos, se possível com as suas canções em fundo. A importância da obra de Zeca Afonso vai muito além da intervenção política. As canções que escreveu são uma parcela importante da cultura portuguesa do século XX. Tudo isso é dito neste livro, com as palavras do afeto e da poesia partilhada.

https://www.almedina.net/um-menino-chamado-zeca-a-voz-de-gr-ndola-vila-morena-1564513749.html

LIVROS E LEITURAS ANTES E DEPOIS DA REVOLUÇÃO DE ABRIL

Durante a ditadura, a leitura era enaltecida, mas foram muitos os escritores que viram os seus livros proibidos.ALMEIDA FARIA e BRUNO AMARAL VIEIRA são escritores de gerações diferentes e experiências de vida diferentes.

O primeiro sofreu com as imposições da censura apesar de ter recebido, aos 20 anos, o Prémio Revelação da Sociedade Portuguesa de Autores.

O Estado Novo não via com agrado as suas inclinações políticas retratadas nas descrições que fazia do Alentejo onde multidões de desempregados protestavam pedindo uma vida melhor.

Bruno Amaral Vieira, por seu lado, é filho de um retornado e cresceu num bairro social de Lisboa. A sua escrita circula livremente e retrata a realidade labiríntica de várias zonas da capital portuguesa.

O mundo é o bairro onde cresceu e onde vivem os desempregados que a crise mais recente deixou e os esquecidos do fim do império.

Disponível em linha em:

https://ensina.rtp.pt/artigo/livros-e-leituras-antes-e-depois-da-revolucao-de-abril/

O jornal PÚBLICO divulga um conjunto de textos/documentos originais da altura da revolução. São cartas, atas de reuniões, textos de militares na guerra colonial antes do 25 de Abril, textos do MFA, comunicados e uma panóplia de documentos pós-revolução que mostram como se foi construindo a democracia e os debates da época. Todos os documentos são cedidos pelo Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra.

Disponível em linha em:

https://acervo.publico.pt/25abril/documentos

25 DE ABRIL - UMA AVENTURA PARA A DEMOCRACIA

Uma seleção de 25 textos, de 25 autores que escreveram sobre a revolução de abril.

Disponível em linha em:

https://www1.ci.uc.pt/cd25a/media/Maleta/Alunos.pdf

OUVIR

Zeca Afonso foi o autor de "Grândola, vila morena" (escrita em 1964 e editada no álbum "Cantigas de maio", em 1971), que viria a ser a segunda senha transmitida na rádio para confirmar o arranque das operações, na madrugada do dia 25 de abril.

A música tornar-se-ia um "hino" de liberdade, cantado por todo o mundo.

Deixamos duas sugestões de interpretação por cantores cabo-verdianos:

SARA TAVARES (disponível em linha em: https://www.youtube.com/watch?v=Hbc15inYT2c)

MAYRA ANDRADE Concerto de homenagem a José Afonso no Théatre de la Ville, em Paris - 2012 (disponível em linha em: https://www.youtube.com/watch?v=7lJ517Dlbe8)

Para esta semana, escolhemos uma música também de Zeca Afonso, uma canção de liberdade e de fraternidade, o sonho de uma "cidade sem muros, sem ameias":

"Utopia" de Zeca Afonso (editada em 1983, no álbum "Como se fora seu filho")

Disponível em linha em:

https://www.youtube.com/watch?v=RGj75QdsROk

VER

Uma série de pequenos programas dedicados ao 25 de abril de 1974, e ao período de instauração do regime democrático em Portugal, produzidos a partir de imagens de arquivo.

Disponível em linha em:

https://arquivos.rtp.pt/programas/dicionario-de-abril/

As Armas e o Povo (1975)

Documentário

Realização: Coletivo dos Trabalhadores da Atividade Cinematográfica

O período que vai do 25 de Abril ao 1º de Maio de 1971, ilustrando a acção militar e a movimentação de rua, tendentes ao desmantelamento do "aparelho social e político do fascismo". Paralelamente, analisam-se os principais eventos que, a partir de 28 de Maio de 1926, contribuíram para a consolidação da máquina corporativa inspirada por Salazar, destacando as atitudes de resistência popular ou oposição armada, ao longo de quarenta e oito anos. As causas que levaram à queda do consulado marcelista. Testemunhos sobre a alvorada da "revolução dos cravos". [Fonte: José de Matos-Cruz, O Cais do Olhar, 1999, p.159]

Disponível em:

https://www.cinept.ubi.pt/pt/filme/768/As+Armas+e+o+Povo

Capitães de abril

Drama / ficção histórica (2000)

Direção: Maria de Medeiros

Um retrato da Revolução que mudou a história portuguesa em 1974. Na madrugada do dia, o Rádio Clube Português emite a célebre e interdita canção de Zeca Afonso, Grândola, Vila Morena. Trata-se um código combinado com o clandestino Movimento das Forças Armadas que nessa madrugada levou um grupo de capitães a executar um golpe de estado e acabar com o regime do Estado Novo.

Disponível em linha em:

https://www.youtube.com/watch?v=M7oeAH1Rj3I

A ASSINALAR O DIA

(em tempo de "distância física sem perder a proximidade à liberdade")

HÁ REVOLUÇÃO NA MONTANHA

24, 25 e 26 ABR 2020

"Em 2020, em pleno Estado de Emergência, o Teatro Viriato abraça a causa de abril, com um programa que recupera a memória de 1974 e comemora esse dia que nos deu a liberdade.

De 24 a 26 de abril, Há Revolução na Montanha com os Capitães de Abril de 2020 Aldina Duarte, Jorge Silva Melo; Joana Craveiro, Alexandra Freudenthal, Estêvão Antunes e Tânia Guerreiro (Teatro do Vestido); e Jorge Andrade (mala voadora) que ocuparão - com a devida distância física sem perder a proximidade à liberdade - o Teatro Viriato."

Disponível em linha em:

https://www.teatroviriato.com/pt/calendario/ha-revolucao-na-montanha/?fbclid=IwAR2-FnmG5MxJ5up9fTxkxKjxreiOzy1oXYAWeK2T3C5LFTPA2Rhq-eOfCGs

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

No dia 25 de Abril, viva #ALiberdadeEmCasa com a companhia e a música do Branko e do Dino D' Santiago. Siga o link para ativar o reminder no Youtube bit.ly/ALiberdadeEmCasa


#Lisboa #ficaemcasa #stayhome #liberdadesempre #25abril

0 visualização0 comentário